MOSTRAS

35º mostra
HISTÓRIA E ACERVO DA
MOSTRA AFRO BRASILEIRA PALMARES

Em 2020 Zumbi vive através da Mostra Afro Brasileira Palmares Londrina, no século 21 pós modernista guiado pela Era Digital da Informação e das novas tecnologias. Vamos lembrar, comemorar e celebrar a vida e história de Zumbi dos Palmares no mundo virtual e democrático, onde podemos construir ações que promovam a igualdade racial. 

Pack_of_magazines_for_business_with_pattern.png
Revista.png
34Mostra.png

34º mostra
AFRO BRASILEIRA PALMARES

A 34ª edição da Mostra Afro Brasileira Palmares foi no Museu Histórico de Londrina e sediou a 3ª edição da Mostra de Música Afro Brasileira, a Feira do Empreendedor Afro a e Feira do Livro. O evento teve boa visitação e o catálogo assumiu a função de informar e divulgar as atividades. 

Revista Aberta.png

33º mostra
MOSTRA AFRO BRASILEIRA PALMARES

A 33ª edição, em 2018, aconteceu paralela a 2ª Mostra de Música Afro Brasileira. Foram diversas apresentações consolidando o 20 de novembro. O catálogo foi um registro da mostra através das imagens das obras, além da programação das atividades culturais, educacionais, oficinas e workshop que a comunidade negra faz e ajuda divulgar. 

33 Mostra fechada.png
02.png
Capa.png
03.png

32º mostra
AFRO BRASILEIRA PALMARES

A 32ª edição da Mostra teve algo inusitado: a censura “O demônio e a mulher”, de Paulo Menten (in memorian), a pedido da Secretaria de Cultura de Londrina. O trabalho ficou restrito para menores de 14 anos. A polêmica não se deu pela imagem, mas devido ao episódio do espetáculo “DNA de Dan”, no Festival de Dança de Londrina, antecedente a mostra. “O homem da bolha” não tinha nenhuma conexão com a Mostra Afro Brasileira Palmares, com artes plásticas ou a temática negra. 

30º mostra
AFRO BRASILEIRA PALMARES

A 30ª mostra, em 2015, teve um catálogo encorpado e reuniu vários artistas. Devido a importância do evento, os curadores acharam que pessoas influentes falassem sobre ele, como Berenice Jordão, Maria Nilza no NEAB (ambas da UEL), o prefeito Alexandre Kireff, a Secretária de Cultura Solange Cristina e Vagner Nogueira, do IMECAB. 

30 Mostra.png

31º mostra
MOSTRA AFRO BRASILEIRA PALMARES

A 31ª mostra em 2016 teve um cartaz-folder patrocinado por José Luís Néia. Dez artistas de Londrina expuseram 50 obras incluindo pinturas em tela, quadros, desenhos, fotografias e esculturas. 

06-3.png
06-2.png
06.png

29º mostra
MOSTRA AFRO BRASILEIRA PALMARES

A 29ª edição da mostra abrangeu pintura, escultura, desenho, grafite, fotografia e foi itinerante a outras regiões de Londrina. Ela foi sediada no espaço Cultural Vozes Barrocas, de 14 a 27 de novembro. De 30 de novembro a 15 dezembro foi no Centro Cultural da Zona Norte. 

28º mostra
AFRO BRASILEIRA PALMARES

A 28ª edição foi no Cemitério de Automóveis, com curadoria de Dani Chineider. Paralela à mostra ocorreu a 18ª Semana Zumbi dos Palmares, que abordou diversos segmentos e foi realizada com a ajuda de Edmundo Novaes e da FENEL (Fórum das Entidades Negras de Londrina). 

27º mostra
MOSTRA AFRO BRASILEIRA PALMARES

A 27ª edição em 2012 não teve catálogo, mas a mostra saiu em diversas reportagens de jornais. Um elenco com 21 artistas apresentou pinturas, desenhos, esculturas e fotografias numa instalação montada por Fabrício de Camargo (de Americana, São Paulo) na Vila Cultural Cemitério de Automóveis.

26º mostra
AFRO BRASILEIRA PALMARES

A 26ª edição da Mostra Afro Brasileira Palmares, em 2011, foi sediada na Vila Cultural Brasil, na Rua Uruguai. Foram 50 obras de 17 artistas nacionais e da artista Olga Kukchenko, uma russa radicada em Cabo Verde. 

25º mostra
MOSTRA AFRO BRASILEIRA PALMARES

Os 25 anos da mostra marcam as “Bodas de Prata” do movimento cultural de luta e resistência. Ela foi sediada no Festival Internacional de Teatro de Londrina (FILO), possibilitando mais abertura para shows musicais. A 25ª edição foi mais uma oportunidade de registrar nos catálogos a história do movimento, no aspecto das artes plásticas e da música. 

24º mostra
AFRO BRASILEIRA PALMARES

A 24ª mostra foi na Vila Aluá, um espaço único de arte e cultura afro brasileira localizado na Rua Araguaia. Esta edição teve a multipluralidade do Movimento Negro com a participação da fotógrafa Thatyana Mariah, Edson Massuci, Ricardo Moura, Kátia Borges, Frutuoso e Carlos Madureira, que também criou a capa, além do texto de Mário Fragoso. 

23º mostra
MOSTRA AFRO BRASILEIRA PALMARES

A 23ª mostra teve um folder cartaz ilustrado por 16 obras de artes e com a programação do evento. Entre os expositores o grafiteiro Carão e nas apresentações musicais a banda Gafanhotos Blindados. 

22º mostra
AFRO BRASILEIRA PALMARES

Em 2007 a 22ª mostra foi marcada pela 1ª Conferência Municipal de Promoção da Igualdade Racial, no Auditório da Super Creche. Os eixos temáticos foram: O combate ao preconceito e à discriminação com respeito às diferenças; O papel da religiosidade na preservação das culturas e; O papel do Poder Público e Sociedade Civil na construção de políticas públicas de combate ao racismo, preconceito e discriminação.